2011/09/15

A TIPINHA ENTRA NA LIVRARIA


Longos cabelos, tingidos; óculos fashion; roupa da moda - roxa; bolsa com frigobar; equilibrando-se num salto alto, aleatoriamente pega um livro.
Folheia-o como um alienígena fazendo necropsia num outro ser mais alienígena ainda (entenda estranhamento).
Quando atendida, fazendo-se de importante, com o dedo indicador direito no lábio, comenta:

- Livro pesado...

O atendente se prepara para o pior, afinal o livro tem pouquíssimas páginas. A madame continua:

- ...parece-me que o autor está num luto profundo sofrendo uma dor, dor de grande perda...

O atendente, coitado, tenta explicar:

- Mas esse é um livro de humor. Acho que a senhora não entendeu o que ele quis dizer.

Ela empurra os longos cabelos para trás e retruca:

- Pois para mim esse livro traduz toda a dor excruciante de uma imensa perda!

Não sei como terminou essa conversa sem sentido, pois peguei meu livro e fui embora imaginando essa tipinha comprando um quilo de filé num açougue e discutindo com o boi em questão foi morto!





Um comentário:

MIRZE disse...

Roberto!

Certamente alguém precisava vê-la não só com um frigobar na bolsa roxa, mas com um livro na mão. Acessório....

Beijos

Mirze