2014/03/31

ALIMENTOS



Uns dão migalhas aos pombos
Outros bananas aos macacos
Já eu, bwahahahahaha
Dou atenção aos loucos!


2014/03/28

UM DIA DESSES ISSO IRIA ACONTECER, ESTAVA ESCRITO


(Um caso patético e i-real)




(A tv está ligada no bar, ninguém assiste nada pois português quer ver novela, os clientes futebol).
O gordo tentando puxar conversa chega pro Sílvio e diz:
-Hã então!
Nesse momento, há muito ansiado e ensaiado, Sílvio* derruba o copo de cerveja na mesa, levanta-se furibundo e sai do bar sem dizer nenhuma palavra.
Fim¹.
O Gordo treme os gordos beiços e chora  bem baixinho.
O garçom que tudo acompanha de longe vem com um pano sujo limpar a toalha de plástico da mesa.
O Gordo tenta entabular uma conversa  enquanto começar a limpar da camisa as migalhas do salgadinho nojento que estava comendo:
- Hã então...
O garçom larga a limpeza da mesa e volta para trás do balcão.
Fim²
Moral da história?
Hã então” não serve para começar nada, sim para terminar.
Fim³





*Nome fictício, é claro!


RESPONDA-ME VADINHO




Lembra daqueles dias
De glória?
Quando o mundo era pequeno e nosso?
Fala sério Vadinho!
Você imaginaria que chagaríamos ao fim
Como funcionários públicos?



2014/03/21

O VIAJANTE





O viajante desaparece no horizonte
Na curva da estrada
Na descida da montanha
Numa vaga, numa onda
Numa boleia de um caminhão
Que envia, de vez em quando, um cartão
(de lugar incerto e não-sabido)
Um bilhete
Um recado por um estranho
(barbudo e muito mal encarado)
Que some sem dar notícias
Que é visto numa foto de jornal, bem lá atrás,
(- parece com ele, será ele?)
Em meio aos anônimos
Que some aos poucos das conversas
Começa a se tornar sussurro, murmúrio
Tabu
Uma lenda
E que anos depois...



É HOJE!





Vou contar tudo, e vou contar agora mesmo, não me interrompa, só vou atender ao telefone e já volto.

2014/03/19

CONCLUSÕES BARATAS



 Nem sempre só simples palavras machucam
Às vezes elas são acompanhadas de paus e pedras
Ferro de passar e frigideiras
Positivamente
A comunicação é foda


2014/03/17

VENDO ATRAVÉS DO VIDRO



Sim
Através do vidro olhava
Mirava
Apertava bem os olhinhos míopes e medrosos
Tremia
Olhava com tanta atenção
Que se pensava estar dormindo
(sonhava?)
E do nada
De repente ela gritou:

- É ele, é ele!

Com que paixão apontou o bandido
Através do vidro.


2014/03/13

POESIA BARATA E SEM VALOR NENHUM





A lua
O miado de um gato
O avião que corta o céu
As estrelas cintilantes
O lixo espalhado
O farol do carro que faz a curva
E espanta as baratas na sujeira
As poças de água na rua
Os passos que se vão
As luzes nas casas que se apagam
Mais um dia que termina, e
Logo o despertador vai acabar com toda essa poesia ordinária



2014/03/12

ALTAS TEMPERATURAS, BAIXAS REFLEXÕES



Uma vez escrevi:
O outono já chegou
E eu ainda não fui a Paris
Hoje:

O verão não passa
E eu não passo desse verão...


- Que calor dos infernos meu Deus!


UMA VIDA MUITO INÚTIL


Passar o dia a dar de comer aos pombos
Passar os dias a dar de comer ao tempo
Passar o resto da existência física
A dar de comer aos vermes


ESSE ROCK ANTIGO, ESSE PIANINHO, COMO DÓI!




 Essa música que toca agora
Ressoa mais em meu coração
Que em meus ouvidos
Quanto mais velho fico...