2012/08/01

TRABALHO


Os livros são empilhados desordenadamente num canto do salão só para serem removidos no dia seguinte, o sol começa a se por e a luz do farol, intermitente, já ilumina o seu quarto.
Ora de sonhar, amanhã começa tudo outra vez. E Sísifo sonha com seu trabalho infinito.

5 comentários:

alexandre disse...

Sísifo sifú nesse trabalho!!!

Ranzinza disse...

Somos todos Sísifos e como condenados que somos fazemos diariamente nossos trabalhos sem sentido, sem resultados,vivendo esse moto-contínuo que só a morte para nos redimir

alexandre disse...

Com certeza...

Mirze Albuquerque disse...

MUITO BOM!

Mas antes da morte, vem a aposentadoria!!!!!!

Beijos

Mirze

Ranzinza disse...

Às vezes, às vezes...