2012/08/29

PEQUENA ODE AO MEU CIGARRO



Sou só
Vivo só
Ando só
E tenho só
E somente
Por companhia nessa
Solidão o meu cigarro
Ele me acompanha
Pelas ruas
Ele está comigo quando reflito
Sobre a minha condição
(ou seria minha solidão?)
Ele é o meu bom dia
E minha boa noite
Ele seca minhas lágrimas
E encobre meus soluços
Ele não me cobra nada
Nada exige
Não me confronta
Ele está aqui disponível
Bem no bolso da camisa
Sobre meu coração
Estou conformado e sei que
Minha solidão há de me matar
Antes da fumaça de meu cigarro...

5 comentários:

Silvio Barreto de Almeida Castro disse...

Se eu estivesse ainda fumando com os probleminhas que me ocorrem atualmente eu já teria ido.

Ranzinza disse...

E ficar para quê companheiro?

Silvio Barreto de Almeida Castro disse...

Para ler tuas crônicas, por exemplo.

Ranzinza disse...

Obrigado

Mirze Albuquerque disse...

MUITO BOM!

Beijos

Mirze