2012/05/14

O ÚLTIMO CIGARRO



Esperou na cozinha algum tempo.
O cigarro entre os dedos, a isqueiro na outra mão, as janelas estavam fechadas, a música alta, o gato na rua e telefone fora do gancho.
Dado o tempo certo, pôs o cigarro na boca, acendeu a chama do isqueiro e tudo acabou-se numa bola de fogo...

4 comentários:

Folhetim Cultural disse...

e assim mais uma morte contada de forma sublime e não dolorosa por Roberto Prado

Ranzinza disse...

Bwahahahahahahahah, essa foi boa...

Anônimo disse...

Roberto!

Seus melhores posts são os que você fala da sua vida, em especial dos bares, do cigarro. Quem inventou que o cigarro mata é burro. Muita gente não tem o gene do câncer na família. Isto é guerra de americano para ganhar dinheiro.

AMEI!

Beijos

Mirze

Bárbara Fernanda disse...

Há sempre um cigarro né?