2011/12/13

Dona Leocádia

PEQUENO DRAMA RELÂMPAGO




De galocha, capa impermeável, sombrinha, lencinho em volta do pescoço, protegendo-se da chuva, Dona Leocádia vai atravessando a rua. Olha para um lado, olha para outro. Nenhum carro que vá atropelá-la ou molhá-la. Segue cuidadosamente, procurando não pisar em nenhum buraco.

De repente, vindo do nada, melhor vindo do céu, um raio. De Dona Leocádia somente um punhado de cinzas.

Do outro lado da rua, seu Hermínio, balbuciava essas palavras:



- Só pode ter sido o dente de ouro, só pode ter sido o dente de ouro...



Um comentário:

MIRZE disse...

EXCELENTE!

A cada dia melhor!

Beijos

Mirze