2011/10/21

CONVERSAS ENTRE O TERCEIRO E O PRIMEIRO MUNDO VIA E-MAIL

Conversava via e-mail, ontem, na minha hora do café, com um amigo que mora em Londres. Falava, não, descrevia como funciona minha repartição.
Explicava para ele o (des)funcionamento, pelo menos na minha seção. Há uma senhora, entrada em anos (e anos e anos) que não faz outra coisa que ficar pendurada ao telefone, da hora em que chega à hora em que sai, fazendo fofocas, reclamando da vida, dos regimes e do marido, necessariamente nessa ordem...
Ele de lá, do outro lado do oceano, e morando no primeiro mundo, não conseguia entender como ela continuava trabalhando aqui. Fiz-lhe ver que ela tem a garantia da estabilidade, não poderia ser mandada embora. Perguntou-me, já espantado se ela não poderia ser mandada para outra seção? Expliquei-lhe que não, não poderia ser enviada para outra seção porque ninguém a queria, já a conheciam e sabiam que ela não gosta de trabalhar e ainda tem a agravante de ser encrenqueira.
Logo ninguém mexe com ela por medo...
Por uns minutos ele não se manifestou do outro lado.
Pensei que havia desligado o computador achando que sou mentiroso. Mas logo depois tornou a escrever, estava incrédulo, e tentando entender essa situação.
Ainda perguntou como funcionava o serviço aqui na repartição.
Professoralmente volto a explicar-lhe o funcionamento (não riam, não riam) da máquina. Digo-lhe então que o que importa à chefia é que o serviço seja feito, não importa por quem/como/de que forma, e dane-se se para isso alguns trabalham mais e outros menos...
Outra vez ele ficou vários minutos sem me responder, aliás, mais tempo ainda.
Voltando, termina nossa conversa assim:

- É por isso que deixei o Brasil e só volto aí para as férias!

Despedimo-nos e voltei a encarar a mesa cheia de papeis, enquanto a madame discutia, ao telefone, um novo regime a base formicida.
Formicida, eu disse?
Não, não, não!
Eu já estava começando a surtar, discretamente saí para fumar, afinal os papeis ainda poderiam esperar mais uns minutos...

- Regime a base de formicida... – fumava e sacudia cabeça repetindo baixinho – regime a base de formicida...

4 comentários:

MIRZE disse...

MUITO BOM!

O pior é que tem gente fazendo isso. Dá um spray de BAYGON na boca três vezes ao dia.

Nunca reparei se morrem.

Beijos

Mirze

Anônimo disse...

Roberto,

acho que esta precisando de sua aposentadoria já!

Bárbara

Ranzinza disse...

Não morrem não Mirze, não morrem...

solaris disse...

Ahahahahaha, ou com certeza, irá para uma casa de repouso..