2011/05/09

ASSIM SOU

Texto de apresentação para o Jornal O DEBATE (que não vingou)




Sou um birrento, mal-humorado, às vezes teimoso e ranzinza, mas daí me chamarem de pessimista?

Besteira, sou um homem muito bem informado, formado nas artes realísticas da mais real realidade sólida e concreta, ou seja, não me iludo, nem me deixo enganar ou levar por sonhos e fantasias, afinal tudo é Maya!

Maya*!

Pessimista eu?

O que é ser pessimista? Não crer? Nada (mais) esperar? Desde pequeno que não me iludo mais. Papai Noel não existe, por favor, guardem para si mesmos essa expressão de espanto, limpem a baba que escorre de suas bocas boquiabertas, acrescento ainda, não existe Coelhinho da Páscoa**, e os últimos que tive o desprazer de ver, graças a Deus, morreram lá na minha chácara, depois de detonarem toda a minha plantação.

Já foram tarde!

Não, não sou pessimista, simplesmente não espero mais nada de ninguém, nada de lugar nenhum, nem mais olho para o chão procurando moedas, nem perscrutar os céus a procura de anjos.

Não sou bom nem mau, sou eu mesmo, e isso já me basta e me cansa deveras sê-lo ou ser-me. (O Sr. Alexandre Costa, meu copy desk, que corrija ou não).

Tenho cá no meio peito, onde pulsa o meu segundo fígado, minhas opiniões, tantas são que posso trocá-las por algo melhor. Mas duvido que surja mais primorosa mercadoria...

Minhas apreciações trombam constantemente com o Sr. Alexandre Costa, aquele otimista de ***, aquele cripto-Poliana, sempre com aquele sorriso de plantão na cara. Mas o choque cria fagulhas, que por fim produz o fogo, fogo esse que se não nos foi dado por Prometeus, serve para aquecer os fins de semana em que nos reunimos para escrever nos blogs, produzir nossas rádionovelas e outros projetos fadados ao fracasso, financeiro, financeiro vejam bem, esse mundo não está preparado para tanta genialidade.

Azar o dele!

Cresse eu em outra vida, tentaria a sorte em outra encarnação!

Mas esse texto está ficando metafísico demais para meu sofisticado bom gosto, desagradando-me, vamos mudar o rumo dessa prosa.

Esse sou, o prazer é só de vocês.

Nada mais tenho a dizer, tudo já foi dito.

Passem bem, se quiserem!







* Ilusão

** Também não creio em duendes, fadas e outras besteiras new age.

*** Não posso dizer o que significa, mas vocês entendem.

4 comentários:

solaris disse...

Momentum#desabaforanzinza?

Caro amigo, às vezes me pego pensando coisas desse tipo....Mundo real não tem espaço pra ilusões....

Ranzinza disse...

Maya, é tudo Maya!
Repita esse mantra várias vezes por dia...

solaris disse...

kkkkkk.....

NANINHA_KABULOSA disse...

Caro amigo, Roberto Ranzinza!!
Sinto dizer que é por causa de pessoas como a sua, que o mundo não melhora...porém..seu outro lado não esconde a vontade imensaa..de colocar a meinha na lareira, acordar e seu presente estar la.
Como fã de suas relidades humanas, não descarto que devemos compreender a vida desta desta mesma forma, pois a real e cruel vida nos obriga.

Att.