2010/08/18

OVO

ovo
gema cercada por clara
clara dentro duma casca
como algo assim tão simples
torna-se tão transcendental?
ovo
um mistério
uma crença
um dogma
cegamente crêem
não discutem com não-iniciados
ovo
antes um alimento simples
básico
natural
agora
com seguidores
herméticos
que se reúnem em câmaras escuras
em labirintos sem ariadnes
ovo
que precedia o pinto
ovo
que precedia o frango
ovo
que se quebrava
fritava
ovo
ovo
ovo
os claricianos morrerão de fome
ante a terrível
hipótese de se devorar um
ovo
seguem em busca da explicação
do entendimento
atrás de luzes
de verdades
iluminação
ovo
cuja a única confusão era
explicá-lo
um palíndromo
pobre ovo
de comida de pobre
a mote de intelectuais
ovo
fruto da humilde galinha
ovo
embala noites de queijo, vinho e
discussões

Texto carinhosamente dedicado aos Claricianos:
Rita,
Ana Maria,
Alexandre Costa,
Marilda e
Geraldo


Um comentário:

MIRZE disse...

Ótimo!

O Ovo, depois de desfragmentado poeticamente por João Cabral de Melo Neto, ganhou notoriedade.

É um alimento completo e vive na crista da onda. Uma hora não pode ser ingerido, outra hora pode etc...

Numa noite que queijos e vinhos a discussão fica melhor!

Adorei!

Beijos

Mirze