2012/08/08

MALDITO PRESENTE!



O tio presenteou-o com o um livro, grosso, muitas páginas, capa dura, ilustrações feitas a bico de pena, detalhes em dourado.
Havia muitas histórias de cavaleiros, dragões, batalhas, armas, sangue, intrigas, uma pitada ou outra de romance – mas pouca coisa, nada que distraísse muito. Mágicas, magos poderosos, gigantes, anões, calabouços, chuvas violentas, fogos, gritos, ais de mocinhas, gritos de soldados, era um grande épico - como se houvesse pequenos épicos! Aventuras de mãos cheias!

- Aposto que você nem vai dormir enquanto não acabar de lê-lo – disse lhe o tio orgulhoso.

A criança segurou o livro e correu para seu quarto.
Horas depois a mãe o encontrou prostrado na cama, chorando baixinho.
Aos soluços explicou:

- O que será de mim se nunca mais dormir por causa do livro?

Jogando o livro pela janela a mãe resmungou:

- Seu tio e essas porcarias de livros. Eu disse a ele, dê uma bola ao menino, mas não...

A criança assim dormiu e acordou tão ignorante como sempre foi.


4 comentários:

alexandre disse...

Realidade fantástica, nua e cruel!!!!

Mirze Albuquerque disse...

Sinceridade? Dar um Épico para uma criança já é antecipar o que a mãe fez,embora aos nove anos eu já lia Machado de Assis e Dostoiévski, mas diziam que eu não era normal.

MUITO BOM!

Beijos

Mirze

Ranzinza disse...

Me lembro que moleque ainda, li O CAPOTE do Gogol...

Silvio Barreto de Almeida Castro disse...

Eu me amarrava em Agatha Cristhie.