2012/08/14

ESTAÇÃO





Aqui nessa estação
Não passa mais nada
Só o tempo
Mas passa tão lentamente
Que faz doerem as lembranças
Dos trens que passavam por aqui
O tempo que passa
Leva pouco a pouco
A memória da gente
E as paredes, e os trilhos
Da fumaça que um dia saiu
Das chaminés
Nem as manchas sobraram
Pois não há mais nada que lembre
Que aqui um dia passaram trens
E aquela moça que esperava na estação?
Foi de taxi, de ônibus ou avião
O tempo urge e não se importa
Com sonhadores...



2 comentários:

Mirze Albuquerque disse...

EXCELENTE!

O trem traz mesmo essa nostalgia. Leva e lava memórias.

Beijos

Mirze

Silvio Barreto de Almeida Castro disse...

Com o trânsito caótico ela deve ter ido à pé.