2012/01/25

Essa é pro Magno!

são paulo que já foi da garoa
e hoje das enchentes
do chapéu de palha e hoje gorro de assaltante,
do boné virado para trás do malandro
que já foi do bonde de passageiros
e agora dos funkeiros
são paulo que foi o futuro
e hoje é o faturo
ah são paulo, são paulo
são paulo da cultura
agora te contentas com pixações
com lixo espalhado pelas ruas
são paulo dos teatros cheios
que agora se espanta com mendigos em suas escadas
são paulo que já destes músicas
agora só ouves
choro e ranger de dentes
canos de escapamento das motos
do tum-tum-tum e práticumbum
sem sentido e sem noção
são paulo que tivestes poetas
agora te contentas com os estúpidos do rap e do hip-hop
e suas verborréias criminosas e ameaçadoras
ah são paulo que chuva nenhuma te limpa
que bueiro nenhum te engole
são paulo cruel com teus filhos que labutam
e tão conivente com os que te roubam e te espoliam
ah são paulo
ah são paulo
do ceú cinza
da fumaça preta
dos olhos vermelhos
ah são paulo
ah são paulo
só mesmo o Magno
Prá te amar tanto assim

6 comentários:

Barbara D.L. disse...

hahahahahaha pobre moço ingênuo.
Ainda acha que São Paulo é aquela coisa "fofa" que cantavam.
Mas é isso ai acreditem no quer for conveniente.
Se morasse em São Paulo tenho certeza que não a amaria...

Curti muito o texto tio!!!

Gi P. disse...

Hold on, hold on... Pelo menos em São Paulo temos arenas para shows internacionais...

Ranzinza disse...

Ok, ok, ok, deve ser bairrismo de morador de litoral, hahahahahaha
Volte sempre aqui.
E visite o link do Magno, afinal a culpa desse texto é dele!!!!

Silvio Barreto de Almeida Castro disse...

Tenho irmão, pai, avô, avó, bisavô e bisavó na Consolação. São Paulo para mim é um amor impossível.

MIRZE disse...

AH! SAMPA!

São Paulo é mesmo o coração do Brasil.

Saudades de quando morei aí estudando no Jardim Europa, A violência e sujeira vem lá do topo do mundo!

Muito BOM!

Beijos

Mirze

Folhetim Cultural disse...

Com link e tudo para o Folhetim Cultural que honra!
São Paulo é verso controverso! Causa espanto aos novos ou despertar amor neles. Trás saudade para os velhos ou desonra um passado tão bonito e glorioso.

Magno Oliveira
Folhetim Cultural