2011/05/17

CONSTATAÇÃO

Já encontrei moedas nos bolsos de roupas velhas
Sapatos embaixo de móveis
Amigos desaparecidos
Revistas e livros antigos
Uma promissória
Mas o tempo perdido...

8 comentários:

Gaby Anny disse...

O tempo...nunca se recupera... devemos realmente usá-lo com sabedoria.

Ranzinza disse...

E nunca poupá-lo...

Nanda Assis disse...

todas essas coisas encontráveis, nos dão uma segunda chance pq elas não se renovam, qndo acabam acabam, mas o tempo se renova a todo segundo.

bjos...

Ranzinza disse...

Quanto tempo cara Nanda, tenho lá minhas dúvidas...

NANINHA_KABULOSA disse...

Realmente não poupa-lo...

solaris disse...

Em um minuto e o tempo foi embora,e o que se foi jamais volta, a não ser em nossas débeis memórias,tenho pensado nas facetas inusitadas de ser feliz.

Silvio Barreto de Almeida Castro disse...

O velho Vicente, secretário de Jorge Tibiriça que contratou Satrunino de Brito, encontra para o senhor:

Velho Tema:I

-Só a leve esperança, em toda a vida...
por Vicente de Carvalho
Poema publicado em Poemas e Canções


Só a leve esperança em toda a vida
Disfarça a pena de viver, mais nada;
Nem é mais a existência, resumida,
Que uma grande esperança malograda.

O eterno sonho da alma desterrada,
Sonho que a traz ansiosa e embevecida,
É uma hora feliz, sempre adiada
E que não chega nunca em toda a vida.

Essa felicidade que supomos,
Árvore milagrosa que sonhamos
Toda arreada de dourados pomos,

Existe, sim: mas nós não a alcançamos
Porque está sempre apenas onde a pomos
E nunca a pomos onde nós estamos

Ranzinza disse...

Pqp!
Esse é o meu Pupilo!